quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Trilha Salkantay - 20 a 24/10





Dia 19 pela noite aluguei alguns equipos que não tenho como: bastão, saco de dormir e isolante térmico, bem como compra de meias, gorros, luvas, repelente, águas e isotônicos...

Fechamos a trilha com mesma empresa que fechamos os tour do Vale da Sagrado e City tour, que é a empresa CHASKI PERU TREK (Portal das Confiturias nº 265 - Interior – Plaza de Armas – e-mail: chaskiperutrek@hotmail.com). O valor saiu para estudante por U$ 140 e não estudante U$ 160, mas isso, porque éramos em 9 pessoas, deu para conseguir este preço...

1º DIA - 20/10

Saímos de Cuzco as 04:30 de bus em direção a Mollepata (2900 m.a.n.m.), chegando umas 8hs, onde tomamos um café da manhã (não incluso no pacote, custou 7 soles o café continental: pão com manteiga ou geléia, café com leite e chá).

As mochilas são pesadas, quem ultraprassar os 5kg na mochila cargueira tem que pagar o excesso... a minha estava pesando 10kg, assim como de outros amigos, então somados os excessos tivemos que pagar o aluguel equivalente a outro burro que saiu 22,50 S./ por pessoa...

Assim, as mochilas maiores seguem de burro juntamente com as demais coisas para o preparo das refeições e acampamento ao longo da trilha. Ao longo do percurso o terreno é plano, com algumas subidas por dentro da mata e pequenos montes, e belas paisagens... Em outubro sempre chove, então durante o percurso todos os dias choveu um pouco... neste 1º dia seguimos até Soraypampa onde montamos acampamento. Esta é a noite mais fria da trilha, porque ficamos no pé de uma montanha nevada....

Neste dia são em média 15km de caminhada. Salkantay foi a primeira trilha da minha vida, nunca tinha praticado um esporte semelhante, mas sempre que possível me exercito, não regularmente, mas caminhadas de fds no parque da minha cidade, alternando com corrida e mto forró nas festas daki foram meu preparativo para encarar a trilha... Então no primeiro dia fiquei bem cansada, mas psicologicamente tranquila.... Neste dia, devido ao frio não há oportunidade para banho, não há estrutura para banhos.... Aqui entra a importância dos lenços umedecidos, pq eu transpiro mto, mas com o frio logo 'secamos' mas é super importante manter a higiene....sr

Refeições todas excelentes: café da manhã, almoço (sempre de entrada uma deliciosa e quentinha sopa), lanche assim que chegamos no acampamento, janta (sopa de entrada também).

Logo após o jantar fui dormir, porque o 2º dia é o pior devido as subidas que encaramos...



2º DIA - 21/10

Levantamos as 5hs já com um chá da coca servido para um verdadeiro despertar, arrumamos as coisas, tomamos café e seguimos em frente. Este é de fato o dia mais puxado, tem mtas subidas, o ar vai ficando difícil, o coração acelerando, mas passo a passo a gente chga lá....

Neste dia na subida da montanha Salkantay quando atingimos 4.600 m.a.n.m. quase chegando no topo, começou a chover granizo e o frio ficou mto extremo, foi então q me encostei numa pedra e comecei a chorar de desespero, achando que não consegueria, achando que faltava mto e que meu coração iria explodir... Lembrei do conforto do meu lar e me perguntava o quê que eu estava fazendo alí... Daí um anjo-amigo chamado Anderson, experiente em trilha a mais de 13 anos, me deu um forte abraço juntamente com a Kaká, e ele disse que não iria me deixar para trás, e ela concordou... Então peguei na mão dele e consegui chegar lá em cima, enquanto a galera tirava fotos da plaquinha eu só queria saber de chegar logo e pedindo à Deus que paresse com a chuva... sr

Depois que atingimos o topo, começa a descida, aí a vida é outra, o ar volta a preencher os pulmões sem dificuldade nenhuma e o coração já não acelera tanto

Chegamos para o almoço e logo seguimos viagem... onde descemos até 2.900 m.a.n.m. para o acampamento... Pela noite ficamos papeando sobre a dureza deste dia e tomando umas paceñas para relaxar... Os gringos ficavam impressionados como os brasileiros bebiam e faziam qlqr negócio por um banho... srs no segundo dia já havia condições de banho, mas gelado e só quem tomou banho foram nós mesmo... srsr



3º DIA - 22/10

Superado frio e o cansaço do 2º dia, este 3º dia é bacana, com muito tempo de descida, o que comecei a sentir o joelho doer, mas bem melhor do que somente subir...

Este dia que conhecemos mais da floresta peruana, da flora, mtos córregos, algumas cachoeiras, bonito de ser ver e viver... "O caminho é caracterizado por grande quantidade de orquídeas, pequenos riachos e cachoeiras"... Próximo de chegar no local do almoço, podemos seguir de van por uns 20 min ou continuar a caminhada, então eu fui de van... hehehe e outros foram a pé... Depois do almoço fomos para o acampamento em Santa Tereza novamente de van, para a decepção de alguns e maravilha de outros...kkk Neste acampamento, uma éspecie de pousadinha, já havia até quarto (10 soles) caso não quiséssemos ficar em barracas, e pela noite teve lual, ao som de mtas lambadas, bailamos todos brasileiros, americanos, uruguaios e peruanos!!

Pela madrugada no final do lual, aconteceu umas brigas do povo lá (alguns nativos vão para lá para beber e se divertir tnm). Ao invés de paus e etc, a galera briga com pedradas... foi uma confusão, a galera das barracas ficou com medo de machucar alguém pq a briga aconteceu próximo de onde eles dormiam... Durante a noite choveu, algumas barracas ficaram inundadas, mas como escolhi ficar em quarto, e estava mto cansada não ouvi nada, e minhas roupas que estavam no varal molharam todas... :( Mas no final td se resolveu...





4º DIA - 23/10

Era para saírmos cedo, só que com a confusão da noite anterior, o grau de ressaca de alguns e mtas coisas molhadas, decidimos sair um pouco mais tarde e novamente pegar a van até a hidrelétrica... o tempo q ficamos parados antes do almoço serviu para secar as peças que estavam molhadas e assim não pesarem mto nas costas, porque neste dia não há burros ou carros para carregar a mochila maior, daí temos que levar todas nossas coisas... Minha mochila estava tranquila, o que pesou nela foi o saco de dormir e o isolante que somando dava uns 4kg e com o restante das coisas, acho q carreguei uns 15kg durante a tarde deste dia...

Da hidrelétrica seguimos pelo trilho do trem até Águas Calientes, umas 4 horas de caminhada até lá...

No percurso encontramos mtos nativos que fazem desse percurso um caminho alternativo, qnd n querem pagar o trem...

Chegamos no Hostel para tomar aquele banho e descansar... Pela noite jantamos, nos despedimos da equipe de cozinheiros e mais algumas voltinhas na cidade voltamos para o hostel, pq as 04:30 já estaríamos de pé para entrar em Machu Picchu (primeiro portão) as 5hs da manhã e começar uma corrida alucinante para entrar no Parque (segundo portão) as 6hs e pegar a entrada para a subida do WaynaPicchu!!



5º DIA - 24/10 - Parque Arqueológico de Machu Picchu

Às 4:30 já iniciamos a caminhada para o primeiro portão de entrada do Parque, as 5hs o portão abriu e iniciou a corrida alucinante para entrar no Parque (segundo portão) as 6hs e garantir a a subida no WaynaPicchu!! Quem está em boas condições físicas sobe em 30 min. É uma boa subida, pq geralmente se 'corta' o caminho e não faz o caminho zigue-zague do bus normal que custa U$ 7 (não há descontos de estudante) que sai de Águas Caliente as 5hs da manhã... Eu levei uns 50 min para chegar lá em cima... Cheguei, fiquei na fila e carimbei minha entrada para subida as 7hs no Wayna o primeiro horário, sendo q há 2 horários para a subida: 1) 7-8hs 200 pessoas e 2) 10-11hs + 200 pessoas...

Qnd cheguei lá em cima e vi meu grupo descobri que todos tinha carimbado a subida para as 10hs, daí o Adrian nosso guia conseguiu novo carimbo para eu subir as 10hs junto com o grupo...

Quando entramos no Parque o Adrian iniciou as e xplicações e as andanças lá por dentro... uma hora em média de explicações e etc... nos despedimos dele e ficamos andando... No boleto de entrada diz que não pode entrar com alimentos, bastão e etc, mas entramos com bastão e com mtos lanchinhos na mochila... umas 9hs nos afastamos para um lugar com menos visitantes e começamos a comer....srsr guardamos nosso lixo, pq lá dentro não há lixeiras, nem banheiros, justamente para impedir o consumo lá dentro... Marcamos de nos encontrar as 10hs na fila para subir o Wayna...

Passei o dia por lá, passeando, tirando fotos, admirando e umas 15hs peguei o busão de volta para o Hostel, arrumar as coisas e passear um pouco mais até pegar o trem as 7hs de volta para Cuzco, onde o trem vai até Ollantaytambo e depois pegamos uma van para Cuzco... Quando chegamos em Ollantaytambo a van não tinha lugares para todos, então depois de mto negociar, alguns foram de táxi e nós seguimos de van, mas o táxi foi pago pela agência, já que nosso pacote incluia o retorno até Cuzco....



Fazer esta Trilha foi de fato uma experiência inesquecível... Conseguir superar meus limites físicos e me lançar nesta aventura, foi algo positivo para meu corpo, alma e espírito.... Nem a dor que senti depois (joelhos), me trouxeram arrependimento...

Então, para fazer a trilha você precisa se conhecer um pouco e lá, depois de completa a missão, vc saberá o quanto é capaz e conhecerá pessoas maravilhosas que sempre ficarão em sua memória!


13 comentários:

  1. Oi thalita, vou fazer essa trilha em fevereiro, qual agência você contratou e quanto pagou?
    Muito bom seu relato..
    beijos
    ;D

    ResponderExcluir
  2. Oi Day vou att o blog no primeio dia com estas informações, mas segue par adiantar sua resposta...

    Fechamos a trilha com mesma empresa que fechamos os tour do Vale da Sagrado e City tour, que é a empresa CHASKI PERU TREK (Portal das Coniturias nº 265 - Interior – Plaza de Armas – e-mail: chaskiperutrek@hotmail.com). O valor saiu para estudante por U$ 140 e não estudante U$ 160, mas isso, porque éramos em 9 pessoas, deu para conseguir este preço...

    ResponderExcluir
  3. Nossa que hiper barato.. certeza que quando eu chegar lá vai estar o dobro.. hahaha..
    Valeu.. bjoo

    ResponderExcluir
  4. Se eu passar neste teste minha Asma estará curada...haha.

    Day: Fevereiro ainda é alta temporada, há vantagens e desvantagens.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Haa Thalita: Parabéns pela jornada e pela riqueza dos detalhes, irá ajudar a tirar muitas dúvidas.

    Suas fotos ficaram show! Adorei o chapéuzinho.

    ResponderExcluir
  6. Adorei as fotos menina kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  7. Thalita,

    Quanta aventura, quantos detalhes. Esse é um dos meus próximos destinos.

    Jonathan,

    Depois de passar pela subida na Isla del Sol na Bolívia (que achei que você não ia aguentar), acho que já está curado dessa Asma. rsrsrs

    Day,

    Você vai fazer falta na próxima trip.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Ola!! vou fazer esta trilha em agosto! Queria infromaços sobre oq é necessario levar na mochila!! se a comida q eles oferecem basta ou tem q levar alguns lachinhos??? beijo

    ResponderExcluir
  9. Olá! Iniciei meu relato informando o que precisei alugar, isso porque um dia antes de encarar a trilha, a empresa apresentará ao grupo, em uma reunião rápida, o guia que irá acompanhar vocês. É neste momento q vc tem a noção do que vai precisar e ainda não tem e do que separar para levar em sua mochila.
    Equipamentos que precisei locar/comprar: bastão, saco de dormir e isolante térmico, bem como compra de meias, gorros, luvas, repelente... Eu já tinha lanterna, e não esquecendo de já ter uma boa bota/tênis (eu estava de tênis da northface, ele aguentou numa boa todo o percurso)
    Comida: barras de cereais, águas e isotônicos. A comida servida pela empresa sempre foi muta boa e o suficiente para ficar satisfeita. A água e isotônicos são importantes para vc não ir desidratando ao longo do dia...
    O peso da mochila, eu tbm mencionei, tem q levar o essencial, coisa de repetir calça é lei, veja o clima da época, pq me virei bem com calças de malhar mesmo, umas mais reforçadas, não mto fininhas claro, pq senão fica uma mochila mto pesada e no quarto dia vc terá q carregar toda a sua bagagem. "neste dia não há burros ou carros para carregar a mochila maior, daí temos que levar todas nossas coisas... Minha mochila estava tranquila, o que pesou nela foi o saco de dormir e o isolante que somando dava uns 4kg e com o restante das coisas, acho q carreguei uns 15kg durante a tarde deste dia..."
    Acho que é isso!
    Sucesso na trilha! Eu tô morrendo de saudades de cair na estrada novamente :(

    ResponderExcluir
  10. Olá Thalita. Gostaria de uma informação q pode parecer boba, mas para mim é de muita importância: a questão do xixi. Como vocês (mulheres) faziam? Aonde vocês almoçavam? Obrigada!

    ResponderExcluir
  11. Operador direto da trilha Salkantay 5 dias, tambem tem ofertas e eles tem um equipamento de alta qualidade. www.trilhaincasalkantay.com

    ResponderExcluir
  12. Olá gente, eu sou de Cusco e primeiro quero parabenizar pelo relato de sobrevivência na trilha Salkantay.

    Eu trabalho aqui no Cusco, numa agencia operadora de trilhas em especial a Machu Picchu para Brasileiros, nossa agência visita lugares que as outras agências normalmente não visitam, nós visitamos a Lagoa e Nevado Humantay, o sitio arqueológico de Llactapata a parte do mesmo Salkantay, também pronto lançaremos uma trilha salkantay com visita a duas lagoas.

    Se alguém esta procurando sugestões de que trilha fazer e por que, estarei pronto para poder ajuda-lhes sem nenhum tipo de compromisso.

    Convido-lhes que visitem nosso site: http://www.trilhasalkantaycusco.com.br

    Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  13. Oi Thalita, tive o prazer de ler sua aventura no Peru (Salkantay). Fiz o mesmo em 2005 (tinha feito Machu-Picchu antes). Felizmente, no meu caso, o tempo estava bom (sem chuva) mas, claro, com muito frio. Não sei se v. continuou com as trilhas ou parou. Se continuou e quiser 2 dicas, aqui vão: Trilha do Ouro (são José do Barreiro x Mambucaba (entre Paraty e Angra) e Pico da Bandeira entre MG e ES. (apenas 6,5 km. de caminhada/só subida). Caso queira orientações: Carlos Alberto, fone: 11-38162026, Email: carlosyellow@ig.com.br

    ResponderExcluir

Comente aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...